O vinho em território nacional: vinícola Valmarinho

Escrito Por: Liber Wines Publicado em: Morbi semper Data de Criação: 06/09/2013 Acessos: 189 Comentários: 0

A produção do vinho já tem bastante espaço em terras brasileiras, e se torna cada vez mais expoente.

A origem do vinho – essa bebida tão apreciada por muitos, digna de ser retratada em várias histórias heroicas e místicas – é datada há séculos atrás. Muitos povos primitivos já possuíam alguma versão do vinho que conhecemos hoje, e essa bebida púrpura servia como item essencial em diversas celebrações e rituais. Sua evolução acompanhou de perto todos os períodos históricos mundiais, e as inovações que deles surgiam, por isso, o vinho ainda está presente em tantas mesas ao redor do mundo!

Mas como essa bebida se tornou tão expoente no cenário brasileiro, e quais foram os frutos colhidos desse crescimento excessivo? Para sanar essas dúvidas, nesse texto, contaremos tudo sobre o desenvolvimento do vinho no Brasil. Confira:

 

O caminho do vinho em solo brasileiro

De acordo com relatos históricos, a primeira vez em que o vinho esteve em terras brasileiras foi na época da chegada de Pedro Álvares Cabral, ou seja, nos primórdios da colonização de Portugal. Como já era uma bebida bastante apreciada na Europa, os portugueses tratavam de levar barris de vinhos em suas viagens exploradoras, e não seria diferente na exploração que culminou na chegada ao Brasil.

Esses carregamentos dessa bebida tão importante eram responsáveis por, principalmente, hidratar os marinheiros, cozinhar e higienizar os alimentos e também serviam para a eucaristia, pois, como sabemos, os lusitanos possuíam uma ligação muito forte com a religião católica.

Após a consolidação da colonização de Portugal no Brasil, as terras foram divididas em capitanias hereditárias, cuja administração era destinada a famílias nobres, e a chefia era passada de pais para filhos, e, como esperado, muitas famílias começaram a empregar seus costumes em suas novas terras, e então, as primeiras vinícolas começaram a ser plantadas. Como muitas dessas plantações eram feitas no nordeste brasileiro, e devido ao clima tropical, várias delas morreram, e a primeira tentativa foi um fracasso.

Muitas outras tentativas de implantar as vinícolas foram iniciadas durante os anos seguintes, mas todas sem resultados satisfatórios. No período da descoberta do ouro em Minas Gerais, as coisas pioraram, pois um êxodo em massa se alastrou pelo país, e todas as vinícolas com potencial para se expandirem foram largadas às moscas.

Somente no inicio do século XX, quando muitas famílias, principalmente de origem italiana, se estabeleceram na Serra Gaúcha é que a produção do vinho no Brasil começou o seu crescimento exponencial. Esses povos trouxeram consigo a cultura do vinho, e, aliado aos seus conhecimentos sobre vinicultura, várias técnicas foram empregadas para a sustentação das vinícolas, inclusive a importação de uvas que sobreviviam a condições de climas tropicais. Dessa forma, essa região no sul do país se expandiu e se consolidou como a maior produtora nacional de vinhos até os dias atuais.

 

A consolidação das vinícolas

Após esse crescimento tão promissor, as vinícolas começaram a prosperar e diversas medidas foram implantadas para que elas se consolidassem, como é o caso de incentivo a pesquisas nessa área, criação de órgãos de regularização, e desenvolvimento técnico de ferramentas para a melhoria do plantio.

Com o aumento dos consumidores do vinho, o marketing também começou a ser um investimento por parte das produtoras. A partir disso, as garrafas e os rótulos começaram a ser apresentadas de formas mais requintadas e elegantes, e daí surgiram a implantação de nomes franceses e italianos em seus produtos, tudo isso para seguir a tendência global que surgia. Desde então, o Brasil segue sendo um importante produtor de vinho, e suas safras têm agradado cada vez mais os clientes.

Como é esperado, os compradores dessa bebida tão fina estão cada vez mais antenados e exigentes, por isso, os vinicultores nacionais têm se atentado cada vez mais em qualidade, produção e publicidade. Atualmente, muitas dessas produtoras investem pesado no enoturismo, que seria um segmento que visa a uma visitação com finalidade de apreciação do sabor e aroma dos vinhos produzidos em suas vinícolas, levando os consumidores a uma experiência cheia de cultura e conhecimento. Como se trata de um marketing bastante efetivo, muitos vinicultores tem se apropriado dessa técnica, e estão adquirindo resultados bastante promissores, como é o caso da Vinícola Valmarino.

 

Vinícola Valmarino: uma joia na produção de vinhos brasileira

O empreendimento da Vinícola Valmarino se iniciou em 1997, e foi fundada pelo enólogo Orval Salton. A família Salton já possui uma grande história da preservação da vinicultura desde a chegada do patriarca, Bento Gonçalves, no ano de 1878. A tradição é bastante presente na família, por isso, até mesmo o nome da vinícola é em homenagem à comuna italiana Cison di Valmarino, terra natal dos fundadores.

A produtora conta com uma paisagem exuberante e encantadora, e suas terras garantem uma visão inesquecível para todos que a conhecem. Sendo assim, a vinícola, que foi construída em uma arquitetura clássica, atrai diversos enoturistas que procuram vinhos e espumantes de qualidades renomadas. Atualmente, Valmarino é rodeada por 16 hectares de vinhedos que são usados na produção de produtos premiados nacional e internacionalmente.

A vinícola cultiva 20ha de vinhedos com inúmeras viníferas diferenciadas e produz cerca de 200 mil litros de vinhos e espumantes finos que são comercializados em duas linhas. A Tre Fradéi conta com produtos mais frescos e com sabores frutados, sendo ideias para o consumo cotidiano; já a linha Valmarino é composta por vinhos e espumantes singulares que apresentam uma complexidade maior de sabores, e possuem um maior potencial de serem guardados.

Para as suas produções, as uvas são cultivadas em um manuseio cuidadoso e específico para cada individualidade dos frutos. Presentes na vinícola, podemos citar espécies finas de uvas, como, por exemplo: Carbernet Franc; Merlot; Petit Verdot; Carbernet Sauvignon; Tannat; Chardonnay; Pinot Noir, dentre outras. Todas essas safras possuem grande teor de qualidade, e produzem vinhos e espumantes de sabores inigualáveis.

Em seu slogan, Valmarino anuncia: “Paixão pelo vinho”, o que demonstra diretamente a sua motivação familiar guiada pelo amor, dedicação e pela entrega de produtos de altíssimas qualidades. Desse modo, consolida a sua marca no mercado de vinho brasileiro, e expande o seu nome para os quatro cantos do mundo, assim como vem sendo feito com as vinícolas tão expoentes em solo brasileiro.

Gostou do conteúdo? Faça o seu cadastro em nosso site e acompanhe as nossas redes para mais assuntos como esse!

Tags:

Deixe um comentário

Captcha