Chardonnay

Originária da França, porém cultivada em quase todos os locais do Novo e Velho Mundo. Com grande facilidade de adaptação a todo tipo de clima, trata-se da uva branca mais popular, de forma que muitos a consideram a rainha das uvas brancas. Dois fatores contribuem para a sua enorme popularidade junto aos consumidores: sabor algo adocicado (pelo alto teor alcoólico) e, principalmente, a facilidade de harmonizar com o carvalho, frequentemente utilizado na produção de vinhos à base de Chardonnay. O aporte de aromas e sabores que o carvalho novo pode conferir aos vinhos feitos com essa uva, seja na fermentação e/ou maturação, constituem em um atrativo a mais. A crítica se faz quando a madeira esconde a fruta no nariz/boca, ou quando se mostra com um amanteigado ou amendoado enjoativos.

+ ver mais

Chardonnay

Chardonnay

Originária da França, porém cultivada em quase todos os locais do Novo e Velho Mundo. Com grande facilidade de adaptação a todo tipo de clima, trata-se da uva branca mais popular, de forma que muitos a consideram a rainha das uvas brancas. Dois fatores contribuem para a sua enorme popularidade junto aos consumidores: sabor algo adocicado (pelo alto teor alcoólico) e, principalmente, a facilidade de harmonizar com o carvalho, frequentemente utilizado na produção de vinhos à base de Chardonnay. O aporte de aromas e sabores que o carvalho novo pode conferir aos vinhos feitos com essa uva, seja na fermentação e/ou maturação, constituem em um atrativo a mais. A crítica se faz quando a madeira esconde a fruta no nariz/boca, ou quando se mostra com um amanteigado ou amendoado enjoativos.

[ver_mais]

De um modo geral, a Chardonnay é capaz de produzir vinhos com aromas de boa intensidade, muito bem equilibrados, secos e de boa graduação alcoólica. Muitos produtores têm produzido o Chardonnay que oferecem ao consumidor o que ele vem pedindo na atualidade: frescor, intensidade, força, elegância e bom potencial de envelhecimento, bem como deliciosos aromas e sabores de frutas de polpa branca frescas e a untuosidade na medida certa. Em regiões mais frias, como Sonoma (Califórnia) e Chablis (Borgonha), os vinhos Chardonnay são mais frescos e minerais. A Chardonnay não é uma cepa capaz de fazer vinhos muito longevos, salvo algumas exceções, como em alguns vinhedos Grand Cru da Borgonha como Corton-Charlemagne, Meursault, Puligny-Montrachet, Chassagne-Montrachet, e outros que incluam a palavra Montrachet.

 

Não tão longevos, porém capazes de envelhecer bem, há alguns excelentes produtos australianos ou americanos; dourados, untuosos, sedosos, com uma “reminiscência a carvalho”, no dizer da crítica inglesa, Jancis Robinson. Na França, podemos encontrar ótimos vinhos Chardonnay não apenas na Borgonha, de onde parece que se originou, mas também em Languedoc-Roussillon e Cahors.

 

Além disso, a Chardonnay compõe a tríade do Champagne com as uvas tintas Pinot Noir e Pinot Meunier, sendo a responsável pelo frescor, finesse e o toque tostado dessa bebida elegante e muito famosa. Esta uva é decisiva como matéria-prima não só em Champagne, mas também em muitos dos mais conhecidos espumantes do mundo – Cava na Espanha e Franciacorta na Itália, dentre outros. 

De um modo geral, na harmonização vinho-prato combine um Chardonnay sem carvalho com alimentos leves e preparados de maneira simples, que não sobrecarregarão os sabores do vinho. Ótima companhia para peixes magros e frutos do mar grelhados, bem como comida oriental. Vão super bem com uma casquinha de siri e bolinho de bacalhau. Chardonnay com carvalho, especialmente da Califórnia, são vinhos tintos disfarçados de brancos, o que, na opinião de Kevin Zraly, os torna uma combinação perfeita para steak. Chardonnay’s com carvalho vão muito bem também com pratos de peixes gordos como bacalhau, atum e salmão. Aí vai uma dica de uma harmonização dos sonhos: pratos ricos e cremosos de frutos do mar à exemplo do lagostim, lagosta e cavaquinha, com um grande branco borgonhês.

Ordenar por:
Exibir até: